Meditação reduz o estresse e a ansiedade

Pesquisas concluíram que a Meditação reduz o estresse e a ansiedade

Há muito tempo se sabe que a prática da Meditação reduz o estresse e a ansiedade. O desempenho antiestresse da Meditação também acontece porque a mente aquietada diminui a produção de adrenalina e cortisol — hormônios secretados nas situações de estresse — ao mesmo tempo em que estimula no cérebro a produção de endorfinas — tranquilizante e analgésico natural responsável pela sensação de leveza nos momentos de alegria e relaxamento.

Diversos estudos sobre a Meditação mostraram que a prática regular proporciona um estado muito mais profundo de relaxamento do que um simples descanso com os olhos fechados, e que a redução do estresse fisiológico pela Meditação é intensa e cumulativa. As técnicas de Meditação ajudam o corpo e a mente a entrar em um estado de relaxamento, contribuindo para um equilíbrio emocional maior e diminuição dos níveis de ansiedade.

A pesquisa científica “Meditação como uma intervenção na reatividade ao estresse”, realizada nos Estados Unidos, mostrou que a Meditação pode proporcionar uma excelente recuperação ao estresse. Um grupo de 60 pessoas, sendo 30 meditadores experientes e 30 pessoas do grupo controle, foi submetido a um estímulo de estresse. Foi verificado que o grupo com experiência na prática da Meditação se recuperava mais rápido da excitação e do estresse, ou seja, os meditadores experientes, após o término do estressor, tinham a frequência cardíaca e a resposta de condutividade da pele diminuída mais rapidamente, o que indicava uma capacidade de habituação mais rápida ao estresse.

Em 2014 foi realizado um estudo com 15 indivíduos saudáveis e sem experiência prévia na Meditação, que participaram durante 4 dias de um treinamento de Meditação. Após esse treinamento, várias medições nesses participantes apontaram alívio no nível de ansiedade. A Meditação reduziu significativamente o estado de ansiedade em todas as sessões de que participaram. Esses resultados fornecem evidências de que a Meditação atenua a ansiedade por meio de mecanismos envolvidos na regulação das emoções pela estabilização dos processos de atenção e treinamento da calma mental.

Outro estudo, publicado no The American Journal of Psychiatry, foi realizado para determinar a eficácia de um programa de redução do estresse baseado na Meditação para tratamento de pacientes com transtornos de ansiedade. Os 22 participantes selecionados para o estudo sofriam de transtorno de ansiedade generalizada ou transtorno de pânico com ou sem agorafobia. O programa de Meditação foi realizado durante 10 semanas, sendo duas horas semanais de aulas com um instrutor e algumas práticas que deveriam ser feitas em casa pelos participantes. Avaliações foram obtidas semanalmente antes e durante o programa de redução do estresse e relaxamento baseado na Meditação, e mensalmente durante o período de acompanhamento de 3 meses. Análises de medidas documentaram reduções significativas nos escores de ansiedade e depressão após a intervenção com a prática de Meditação para os participantes. O número de indivíduos com sintomas de pânico também foi substancialmente reduzido.  A conclusão do estudo indicou que um programa de treinamento de Meditação pode efetivamente reduzir os sintomas de ansiedade e pânico e pode ajudar a manter essas reduções em pacientes com transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico ou transtorno do pânico com agorafobia.

Diversos outros estudos estão sendo realizados para reforçar a comprovação que a Meditação reduz o estresse e a ansiedade, além de proporcionar outros benefícios para a saúde e, também, como um tratamento para várias doenças e problemas de saúde. Devido a todos estes benefícios, a Meditação é uma das 29 Práticas Integrativas e Complementares oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

As informações e pesquisas citadas acima foram extraídas do Livro “Meditação – Teoria, Prática e Exercícios Respiratórios” com a autorização do autor.

 


Referências:

ZEIDAN, Fadel et al. Neural correlates of mindfulness meditation-related anxiety relief. In: Social Cognitive Affective Neuroscienc Journal, v. 9, ed. 6, Jun. 2014.

GOLEMAN, D. J.; SCHWARTZ, G. E. Meditation as an intervention in stress reactivity. In: Journal of Consulting and Clinical Psychology.

KABAT-ZINN, Jon at al. Effectiveness of a meditation-based stress reduction program in the treatment of anxiety disorders. The American Journal of Psychiatry – 1992


 

Clique aqui e veja todas as notícias
Tai Chi Chuan melhora ansiedade e sono

Tai Chi Chuan é eficaz para melhorar a ansiedade e a qualidade do sono

Estudo publicado na revista Nature and Science of Sleep em 2016, concluiu que a prática do Tai Chi Chuan é eficaz para melhorar a ansiedade e a qualidade do sono em adultos jovens.

Os 75 participantes que foram recrutados para o estudo tinham entre 18 e 40 anos de idade, não praticavam qualquer modalidade de exercício mente-corpo (Tai Chi Chuan, Yoga, Pilates ou Qigong), relataram níveis de ansiedade e depressão variando de leve a grave, e não recebiam tratamento de psicoterapia ou medicamentos para problemas psicológicos.

Os participantes foram divididos em três grupos: o primeiro grupo praticou Tai Chi Chuan com um instrutor qualificado durante uma hora, 2 vezes por semana durante 10 semanas; o segundo grupo praticou o Tai Chi Chuan com um DVD seguindo as orientações do instrutor durante uma hora, 2 vezes por semana durante 10 semanas; e o grupo controle recebeu um folheto sobre gerenciamento de ansiedade. A ansiedade e a qualidade do sono foram avaliadas 4 vezes: no início do estudo, após 4 semanas, após 10 semanas (final da intervenção) e 2 meses após o final da intervenção.

Para aumentar o poder estatístico, os dois grupos que praticaram o Tai Chi Chuan foram combinados nas análises de ansiedade e medidas de qualidade do sono. Nenhuma mudança significativa na ansiedade foi encontrada no grupo de controle, enquanto os níveis de ansiedade diminuíram significativamente ao longo do tempo nos dois grupos de Tai Chi Chuan. As pontuações para a qualidade do sono melhoraram ao longo do tempo para todos os três grupos, mas os participantes que aderiram ao Tai Chi Chuan relataram uma melhora maior do que os participantes do controle.

A conclusão do estudo indicou que o Tai Chi Chuan pode ser um meio não farmacológico eficaz na melhora da ansiedade e da qualidade do sono em adultos jovens.

 


CALDWELL, Karen L.; BERGMAN, Shawn M.; COLLIER, Scott R.; TRIPLETT, Travis; QUIN, Rebecca; BERGQUIST, John; PIEPER, Carl F.. Effects of tai chi chuan on anxiety and sleep quality in young adults: lessons from a randomized controlled feasibility study. Nature and Science of Sleep, 2016; 8: 305–314.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5118018/?report=classic


 

Clique aqui e veja todas as notícias